quarta-feira, 4 de abril de 2012

Saiba mais sobre Karl Marx

Conheça a vida e a obra de Karl Marx

Desafio de Sociologia

Karl Marx

Teste seus conhecimentos sobre a obra de Karl Marx

1. (Uem 2012) Escrito há quase duzentos anos, por Karl Marx e Friedrich Engels, o Manifesto Comunista denunciava as desigualdades sociais vividas pelos homens na sociedade capitalista. Leia trecho dessa obra, reproduzido a seguir, e assinale o que for correto sobre o desenvolvimento econômico.

“A sociedade burguesa moderna, que brotou das ruínas da sociedade feudal, não aboliu os antagonismos das classes. Estabeleceu novas classes, novas condições de opressão, novas formas de luta no lugar das antigas [...] A manufatura já não era suficiente. Em consequência disso, o vapor e as máquinas revolucionaram a produção industrial. O lugar da manufatura foi tomado pela indústria gigantesca moderna, o lugar da classe média industrial, pelos milionários da indústria, líderes de todo o exército industrial, os burgueses modernos”

(MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. O Manifesto do Partido Comunista. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998, 10ª Edição, p.09 e 11 – Coleção Leitura).

01) A passagem da manufatura para indústria gerou um processo de modificação do espaço natural que foi bastante equilibrado, sem prejuízos ao meio ambiente.

02) O trecho acima se refere ao contexto de formação da sociedade capitalista e à composição dos antagonismos de classe, os quais opõem proprietários dos meios de produção e proprietários da força de trabalho.

04) As relações estabelecidas pelas classes sociais na sociedade burguesa moderna são pautadas pela cooperação, a qual conduz ao desenvolvimento econômico gerador de melhor condição de vida para todos.

08) As relações de troca se revolucionaram em virtude de o crescimento da burguesia moderna ter ocorrido na mesma proporção do crescimento da produção industrial.

16) O desenvolvimento da indústria está assentado no emprego do trabalho humano, o único detentor de conhecimento para alterar a matéria-prima, a partir do uso de instrumentos que ele mesmo produz.

2. (Uncisal 2012) A Escola Marxista tem na teoria do conflito um dos seus fundamentos mais importantes em termos sociológicos. Tal teoria, pela óptica marxista, defende que

a) os conflitos sociais são culturais, sendo expressões do embate entre a tradição e a inovação.

b) os conflitos nascem das contradições, sendo estas resultantes do acesso desigual aos meios de produção.

c) as sociedades mais avançadas são aquelas que melhor se adaptaram ao longo do processo histórico, sendo as menos aptas extintas.

d) os conflitos sociais são observados apenas nas sociedades anteriores à Revolução Industrial.

e) todas as relações sociais estão desvinculadas da esfera econômica, sendo os conflitos políticos o alicerce da vida em sociedade.

3. (Ufrgs 2012) Tanto Augusto Comte quanto Karl Marx identificam imperfeições na sociedade industrial capitalista, embora cheguem a conclusões bem diferentes: para o positivismo de Comte, os conflitos entre trabalhadores e empresários são fenômenos secundários, deficiências, cuja correção é relativamente fácil, enquanto, para Karl Marx, os conflitos entre proletários e burgueses são o fato mais importante das sociedades modernas. A respeito das concepções teóricas desses autores, é CORRETO afirmar:

a) Comte pensava que a organização científica da sociedade industrial levaria a atribuir a cada indivíduo um lugar proporcional à sua capacidade, realizando-se assim a justiça social.

b) Comte considera que a partir do momento em que os homens pensam cientificamente, a atividade principal das coletividades passa a ser a luta de classes que leva necessariamente à resolução de todos os conflitos.

c) Marx acredita que a história humana é feita de consensos e implica, por um lado, o antagonismo entre opressores e oprimidos; por outro lado, tende a uma polarização em dois blocos: burgueses e proletários.

d) Para Karl Marx, o caráter contraditório do capitalismo manifesta-se no fato de que o crescimento dos meios de produção se traduz na elevação do nível de vida da maioria dos trabalhadores embora não elimine as desigualdades sociais.

e) Tanto Augusto Comte quanto Karl Marx concordam que a sociedade capitalista industrial expressa a predominância de um tipo de solidariedade, que classificam como orgânica, cujas características se refletirão diretamente em suas instituições.

4. (Unicentro 2012) Um dos temas mais comuns da Sociologia, discutido na vida do trabalho, refere-se ao acúmulo desigual do capital e à luta existentes entre as diferentes classes sociais. Um dos autores clássicos da Sociologia acompanhou as mudanças causadas pela produção industrial, as desigualdades que dela resultaram e escreveu sobre o desenvolvimento do capitalismo. Trata-se, nesse caso, de

a) Karl Marx.

b) Max Weber.

c) Émile Durkheim.

d) Augusto Comte.

e) Herbert Spencer.

5. (Unesp 2012) Leia os textos.

Texto 1

Ora, a propriedade privada atual, a propriedade burguesa, é a última e mais perfeita expressão do modo de produção e de apropriação baseado nos antagonismos de classes, na exploração de uns pelos outros. Neste sentido, os comunistas podem resumir sua teoria nesta fórmula única: a abolição da propriedade privada. (…)

(…)

A ação comum do proletariado, pelo menos nos países civilizados, é uma das primeiras condições para sua emancipação. Suprimi a exploração do homem pelo homem e tereis suprimido a exploração de uma nação por outra. Quando os antagonismos de classes, no interior das nações, tiverem desaparecido, desaparecerá a hostilidade entre as próprias nações.

(Marx e Engels. Manifesto comunista, 1848.)

Texto 2

Os comunistas acreditam ter descoberto o caminho para nos livrar de nossos males. Segundo eles, o homem é inteiramente bom e bem disposto para com seu próximo, mas a instituição da propriedade privada corrompeu-lhe a natureza. (…) Se a propriedade privada fosse abolida, possuída em comum toda a riqueza e permitida a todos a partilha de sua fruição, a má vontade e a hostilidade desapareceriam entre os homens. (…) Mas sou capaz de reconhecer que as premissas psicológicas em que o sistema se baseia são uma ilusão insustentável. (…) A agressividade não foi criada pela propriedade. (…) Certamente (…) existirá uma objeção muito óbvia a ser feita: a de que a natureza, por dotar os indivíduos com atributos físicos e capacidades mentais extremamente desiguais, introduziu injustiças contra as quais não há remédio.

(Sigmund Freud. Mal-estar na civilização, 1930. Adaptado.)

Qual a diferença que os dois textos estabelecem sobre a relação entre a propriedade privada e as tendências de hostilidade e agressividade entre os homens e as nações? Explicite, também, a diferença entre os métodos ou pontos de vista empregados pelos autores dos textos para analisar a realidade.

6. (Ufpa 2012) Um das importantes preocupações sociológicas é a questão a respeito dos fatores que tornam possível a existência e a evolução das sociedades. A ideia de “conflito” assume uma posição contraditória, por este ser considerado ora como “motor das transformações”, ora como fator que “deixa a sociedade estagnada” e impede a evolução. Em relação às consequências do conflito para sociedade, é CORRETO afirmar:

a) Para Karl Marx, o regime capitalista é capaz de produzir cada vez mais. A despeito desse aumento das riquezas, a miséria continua sendo a sorte da maioria. Essa contradição irá gerar conflitos que, mais cedo ou mais tarde, desencadearão um processo de reforma da sociedade que a reorganizará com critérios científicos.

b) Para Karl Marx, a supressão das contradições de classe deve levar logicamente ao desaparecimento do Estado, pois este é um dos subprodutos ou a expressão dos conflitos sociais.

c) O marxismo exclui a possibilidade de haver um paralelismo entre o desenvolvimento das forças produtivas, a transformação das relações de produção, a intensificação da luta de classes e dos conflitos que marcam a marcha para a revolução.

d) Durkheim diz que os conflitos entre trabalhadores e empresários demonstram a falta de organização ou a anomia parcial da sociedade moderna, que deve ser corrigida com uma revolução do proletariado, que restaure o consenso social.

e) Durkheim acredita que a forma como os indivíduos se organizam socialmente para produzir determina a sua visão de mundo. Ou seja, ele acredita que não é a consciência dos homens que determina a realidade, mas, ao contrário, é a realidade social e principalmente seus conflitos que determina a consciência coletiva.

7. (Unimontes 2012) A questão das classes sociais ocupa um papel fundamental na teoria de Karl Marx. Para ele, existem condicionantes e determinantes na complexa relação entre indivíduo e sociedade e entre consciência e existência social. Considerando as reflexões de Karl Marx sobre esse tema, marque a alternativa incorreta.

a) A luta de classes desenvolve-se no modo de organizar o processo de trabalho e no modo de se apropriar do resultado do trabalho humano.

b) A luta de classes está presente em todas as ações dos trabalhadores quando lutam para diminuir a exploração e a dominação.

c) Em meio aos antagonismos e lutas sociais, o indivíduo pode repensar a realidade, reagir e até mesmo transformá-la, unindo-se a outros em movimentos sociais e políticos.

d) As classes sociais sustentam-se em equilíbrios dinâmicos e solidários, sendo a produção da solidariedade social o resultado necessário à vida em sociedade.

8. (Uem 2012) Sobre as teorias clássicas da estratificação social, assinale o que for correto.

01) Segundo a sociologia marxista, a diferenciação entre os indivíduos na sociedade capitalista se dá pela posição que eles ocupam na estrutura produtiva.

02) Apesar de reconhecer a existência da pequena burguesia, Marx defendia que, com o desenvolvimento do capitalismo, haveria a redução da sociedade a apenas duas classes fundamentais: burguesia e proletariado.

04) A sociologia weberiana desenvolve uma teoria da estratificação social que inclui, além das posses materiais, o nível de educação e o conjunto das habilidades técnicas individuais na definição das classes.

08) Para Max Weber, os grupos de status são unidades de estratificação tão importantes quanto a classe social.

16) Os grupos de status distinguem e agrupam os indivíduos em termos do prestígio, honra social ou estilo de vida que possuem.

9. (Uel 2012) Considere os trechos a seguir.

A classe operária não pode apossar-se simplesmente da maquinaria de Estado já pronta e fazê-la funcionar para os seus próprios objetivos.

(MARX, Karl. A revolução antes da revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2008, p.399.)

Também do ponto de vista histórico, contudo, o “progresso” a caminho do Estado regido e administrado segundo um direito burocrático e racional e regras pensadas racionalmente, atualmente, está intimamente ligado ao moderno desenvolvimento capitalista.

(WEBER, Max. Parlamento e governo na Alemanha reordenada: crítica política do funcionalismo e da natureza dos partidos. Petrópolis: Vozes, 1993, p.43.)

Com base nos trechos, compare as concepções clássicas de Estado formuladas nas obras de Karl Marx e Max Weber.

10. (Unicentro 2012) De acordo com as análises de Karl Marx, a divisão social do trabalho revela duas classes que se contrapõem. Na produção capitalista, as duas classes antagônicas são as indicadas em

a) senhor e escravo.

b) clero e burguesia.

c) servos e senhores.

d) nobreza e burguesia.

e) burguesia e proletariado.

11. (Uel 2011) Observe a charge.

Com base na charge e nos conhecimentos sobre a teoria de Marx, é correto afirmar:

a) A produção mercantil e a apropriação privada são justas, tendo em vista que os patrões detêm mais capital do que os trabalhadores assalariados.

b) Um dos elementos constitutivos da acumulação capitalista é a mais-valia, que consiste em pagar ao trabalhador menos do que ele produziu em uma jornada de trabalho.

c) A mercadoria, para poder existir, depende da existência do capitalismo e da substituição dos valores de troca pelos valores de uso.

d) As relações sociais de exploração surgiram com o nascimento do capitalismo, cuja faceta negativa está em pagar salários baixos aos trabalhadores.

e) Sob o capitalismo, os trabalhadores se transformaram em escravos, fato acentuado por ter se tornado impossível, com a individualização do trabalho e dos salários, a consciência de classe entre eles.

12. (Ueg 2011) O comunismo rondava a Europa. Em meados do século XIX, o Manifesto Comunista é publicado. As lutas entre as forças conservadoras da nobreza e do clero contra a burguesia se acirram. Aumenta também a tensão entre liberais e socialistas. É neste contexto que Karl Marx ganha força com seu

a) espiritualismo histórico dialético.

b) materialismo histórico dialético.

c) positivismo histórico dialético.

d) criticismo histórico dialético.

13. (Uema 2011) Uma das condições imprescindíveis, em Karl Marx, para que a mercadoria como força de trabalho possa ser vendida e comprada no mercado é:

a) A separação entre os meios de produção e o produtor direto.

b) A unidade entre o meio de produção e o produtor direto.

c) A relação entre a produção, consumo e distribuição.

d) O intercâmbio entre homem e natureza.

e) A separação entre campo e cidade.

14. (Unicentro 2011) Teria orgulho, sim, e estava seguro de que um dia teria mesmo esse orgulho, se a luta e o sofrimento fossem não para preservar um Brasil onde muitos trabalhavam e poucos ganhavam, onde o verdadeiro povo brasileiro, o povo que produzia, o povo que construía, o povo que vivia e criava, não tinha voz e nem respeito, onde os poderosos encaravam sua terra apenas como algo a ser pilhado e aproveitado sem nada darem em troca, piratas de seu próprio país; [...] teria orgulho se essa luta tivesse sido, como poderia ser, para defender um Brasil onde o povo governasse, um grande país, uma grande Pátria, em que houvesse dignidade, justiça e liberdade!

RIBEIRO, J. U. Viva o povo brasileiro. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1984.

Os escritos de Karl Marx refletem o seu interesse pelas mudanças do tempo moderno, principalmente as ligadas ao desenvolvimento do capitalismo e a seus principais elementos: o capital e a mão de obra assalariada. Nesse sentido, pode-se utilizar esse recorte de texto do clássico de João Ubaldo Ribeiro para exemplificar o conceito de

a) mais-valia, que, ao desvalorizar o trabalho, aumenta o valor do produto e gera diferenças sociais.

b) luta de classes, as quais, no capitalismo, estabelecem desigualdades e relações de antagonismo e exploração.

c) dominação, em que a economia mecanicamente determina todas as demais esferas da sociedade.

d) trabalho visto como a única força capaz de fazer um grupo se sobrepor ao outro, impondo a sua vontade como verdade.

e) alienação, em que os operários não percebem o produto final como resultado do seu trabalho por causa das desigualdades sociais.

15. (Ufu 2011) Ao tratar do método utilizado por Karl Marx para compor O Capital, Jacob Gorender afirma que “[...] Marx não partiu do conceito de valor, mas da mercadoria, isto é, da célula germinativa do modo de produção capitalista”.

Diante do exposto e dos seus conhecimentos acerca da obra desse teórico, assinale a alternativa incorreta.

a) O fetiche da mercadoria reflete aos homens as características sociais do seu trabalho como se fossem propriedades do próprio produto. Por este motivo, o fetiche da mercadoria provém de seu valor de uso.

b) O valor de uso é o suporte físico do valor das mercadorias.

c) O caráter duplo do valor de uso e do valor de troca resulta do caráter também do próprio trabalho que o produz: trabalho concreto e trabalho abstrato.

d) Na sociedade capitalista, a riqueza pode ser compreendida como uma imensa coleção de mercadorias.

16. (Unimontes 2011) “Todos os nossos inventos e progressos parecem dotar de vida intelectual as forças produtivas materiais, enquanto reduzem a vida humana ao nível de uma força material bruta. Este antagonismo entre a indústria moderna e a ciência, por um lado, e a miséria e a decadência, por outro, este antagonismo entre as forças produtivas e as relações sociais de nossa época é um fato palpável, abrumador e incontrovertido. (...) não nos enganemos a respeito da natureza desse espírito maligno que se manifesta constantemente em todas as contradições que acabamos de assinalar”.

Com base no texto de Karl Marx, julgue os itens a seguir:

I. Pertence ao debate em torno da questão da alienação na sociedade capitalista, alertando para a consciência alienada e contraditória que atribui à realidade histórica uma aparência mágica, enfeitiçada.

II. Reforça a explicação de que a realidade histórica tem uma aparência ideal, pois as ideias, as concepções, os gostos, as crenças, as categorias do conhecimento humano são construídos e partilhados harmonicamente dentro da sociedade.

III. Diz respeito ao processo em que as máquinas, dotadas da propriedade maravilhosa de encurtar e fazer mais frutífero o trabalho humano, contraditoriamente, provocam a fome e o esgotamento do trabalhador, convertendo-se em fonte de privação social e econômica.

Está(ão) correto(s) o(s) item(ns)

a) I e II, apenas.

b) I, II e III.

c) II, apenas.

d) I e III, apenas.

17. (Uffs 2011) É uma ideia que na sociedade capitalista pressupõe a elaboração de um discurso homogêneo, pretensamente universal, que, buscando identificar a realidade social com que as classes dominantes pensam sobre ela, esconde, oculta as contradições existentes e silencia as representações contrárias às dessa classe.

a) A ideia de justiça

b) A ideia de ordem

c) A ideia de democracia

d) A ideia de ideologia

e) A ideia de progresso

18. (Uema 2011) As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas, é com o capitalismo que as divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções se evidencia uma característica de classe social?

a) O status social e cultural dos indivíduos.

b) A função social exercida pelos indivíduos na sociedade.

c) A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas.

d) A identidade social, cultural e coletiva.

e) A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção.

19. (Uem 2011) Considerando o conceito de classe social, assinale o que for correto.

01) Os indivíduos definem subjetivamente a sua classe de pertencimento por meio da sua autoidentificação com um grupo.

02) As classes sociais são compostas por indivíduos que ocupam uma mesma posição na estrutura produtiva de uma sociedade.

04) A oposição entre as classes sociais em cada modo de produção foi a principal geradora das grandes transformações históricas por que passou a humanidade até o presente momento.

08) As relações entre burguesia e proletariado no modo de produção capitalista são marcadas pela cooperação produtiva, tendo em vista o objetivo comum de elevação da produtividade.

16) Na sociedade capitalista, a causa fundamental para a divisão entre as classes sociais é a propriedade privada.

20. (Uffs 2011) O Estado tem sido definido como um conjunto de instituições políticas, jurídicas e administrativas com jurisdição sobre a população de um país. Hegel suge¬ria que o estado seria uma criação racional, represen¬tando a “coletividade social”.

Essa concepção foi rejeitada por Marx e Engels, que concebiam o Estado como:

a) Como curador da sociedade, ou seja, aquele que zela pelos interesses de outra pessoa ou instituição.

b) Um instrumento que molda a sociedade; ele existe antes da sociedade, ou seja, ele é não histórico, transcende a sociedade.

c) Um instrumento capaz de manter a ordem natural da sociedade, colaborando para o bem comum de diferentes classes sociais.

d) Um instrumento essencial de dominação popular, estando acima dos conflitos de classe, com interesses legítimos de dominação comum.

e) Um instrumento que serve aos interesses da classe dominante em qualquer sociedade. Não é o Estado que molda a sociedade, mas a sociedade que molda o Estado pelo modo de produção.



Gabarito:

Resposta da questão 1: 02 + 08 + 16 = 26.

[01] Incorreto. A modificação do espaço não foi equilibrada e prejudicou bastante o meio ambiente. Os efeitos desse processo estão sendo amplamente discutidos e o chamado aquecimento global parece estar bastante relacionado com a atividade fabril iniciada com a Revolução Industrial e intensificada no último século.

[02] Correto. Esse antagonismo de classe é uma característica imanente ao modo de produção capitalista, segundo Marx.

[04] Incorreto. Não há cooperação, mas luta de classes no capitalismo.

[08] Correto. Foi a produção industrial que permitiu a consolidação da burguesia enquanto classe social dominante.

[16] Correto. Sem o emprego da mão de obra assalariada não seria possível a produção industrial.

Resposta da questão 2:[B]

A alternativa [B] é a única correta. Segundo Marx, os conflitos são resultantes da luta de classes entre burguesia e proletariado. Cada uma dessas classes ocupa uma posição antagônica em relação à produção, sendo a burguesia a classe que detém os meios de produção, enquanto o proletariado não o possui, sendo obrigado a vender sua força de trabalho para poder sobreviver.

Resposta da questão 3:[A]

Todas as afirmativas apresentam uma confusão da teoria de Augusto Comte com a de Karl Marx. Somente não há confusão na alternativa [A], que apresenta a visão de Comte a respeito daquilo que ele considera como “justiça social”, que ocorreria quando cada indivíduo tivesse um lugar na sociedade que fosse adequado à sua aptidão individual.

Resposta da questão 4:[A]

Foi Karl Marx quem afirmou que “a história das sociedades até os nossos dias não foi, senão, a história da luta de classes”. Toda a sua obra tem como objetivo revelar como se dá tal relação de luta de classes na sociedade capitalista moderna.

Resposta da questão 5:

A diferença entre a abordagem marxista e a freudiana exemplifica a oposição clássica entre sociologia e psicologia acerca da análise sobre a realidade. Enquanto Marx e Engels extraem da estrutura social a explicação para a hostilidade, Freud faz sua análise a partir dos atributos psicológicos dos homens. Nesse sentido, Marx e Engels consideram como sendo a propriedade privada a expressão dos antagonismos de classe e a origem da hostilidade entre as nações. Freud, em contrapartida, considera que ainda que seja abolida a propriedade privada, persistirão as injustiças, a má vontade e a hostilidade entre os homens, dado que o homem é naturalmente agressivo.

Resposta da questão 6:[B]

Somente a alternativa [B] é correta. Os conflitos existentes na sociedade são chamados, por Karl Marx, de luta de classes. Esses conflitos, existentes por causa do modo de produção da vida material, fazem com que o Estado seja necessário. Em uma sociedade sem classes, não haverá mais tais conflitos e, por conseguinte, o Estado não será mais necessário.

Resposta da questão 7:[D]

A luta de classes não está relacionada com a solidariedade social. De fato, Marx não utiliza esse conceito, que é próprio da sociologia durkheimiana.

Resposta da questão 8: 01 + 02 + 04 + 08 + 16 = 31.

Todas as afirmativas estão corretas. Marx e Weber são dois autores importantes que trabalharam com o tema da estratificação social. A teoria weberiana, dado que parte do pressuposto da multicausalidade, identifica diversos fatores que determinam a estratificação numa sociedade. Marx, em vez, considera que a sociedade é originada a partir das relações de produção material de existência. Sendo assim, desenvolve uma teoria da estratificação que parte, sobretudo, de critérios econômicos e produtivos.

Resposta da questão 9:

Marx e Weber apresentam concepções bastante diversas a respeito do Estado Moderno. Segundo Marx, o Estado está relacionado com a superestrutura de uma sociedade e é um aparato de dominação da burguesia. Já Weber enxerga o Estado como uma manifestação da racionalização ocidental, marcada por uma organização burocrática e impessoal. Ainda que enxerguem o mesmo fenômeno por perspectivas quase antagônicas, vale ressaltar que os dois autores têm claro que o Estado está intimamente relacionado e inserido na lógica de desenvolvimento do sistema capitalista.

Resposta da questão 10:[E]

Somente a alternativa [E] é correta. Friedrich Engels, em uma nota do Manifesto Comunista, explicou: “Por burguesia entende-se a classe dos capitalistas modernos, proprietários dos meios de produção social que empregam o trabalho assalariado. Por proletariado, a classe de assalariados modernos que, não tendo meios próprios de produção, são obrigados a vender sua força de trabalho para sobreviverem.” (Fonte: MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto Comunista. Instituto José Luis e Rosa Sundermann, 2003. Disponível online em: http://www.pstu.org.br/biblioteca/marx_engels_manifesto.pdf. Acesso em 25/10/2011)

Resposta da questão 11:[B]

A mais-valia é a base da exploração do sistema capitalista e a charge mostra perfeitamente a diferença entre o valor produzido pelo trabalho do operário e o valor pago por seu patrão.

Resposta da questão 12:[B]

A questão faz referência ao contexto sociopolítico da publicação do Manifesto Comunista, texto de Karl Marx com Friedrich Engels. Nele estão presentes elementos da teoria política marxista, fundamentada no materialismo histórico dialético, ou seja, em uma concepção histórica baseada na dialética da luta de classes e nas condições materiais de existência das classes.

Resposta da questão 13:[A]

A questão faz referência ao conceito de alienação, que corresponde, de forma simples, à separação entre o particular e o todo. Na esfera da produção, o trabalhador é separado dos meios de produção, sendo estes pertencentes ao burguês. Assim, o trabalhador vende a sua força de trabalho e, assim, a mercadoria que ele produz deixa de estar sob sua posse, sendo posse do burguês, o dono dos meios de produção.

Resposta da questão 14:[B]

O texto apresenta uma insatisfação daqueles que “muito trabalhavam” contra os poucos que ganhavam e conclama uma luta para que o povo governe a pátria. Na medida em que a sociedade brasileira é vista como dividida entre os poderosos e o povo trabalhador, tal concepção se associa à divisão no sistema capitalista entre proletários e burgueses.

Resposta da questão 15:[A]

A alternativa A é a única incorreta, porque afirma exatamente o contrário do que se entende por fetiche da mercadoria. Para Marx, o modo de produção capitalista mascara, esconde o trabalho humano empregado na produção de mercadorias, prevalecendo somente o valor de troca, pois as relações sociais passam a se basear pela troca de mercadorias, as quais não revelam o trabalho do produtor, adquirindo valor por si mesmas.

Resposta da questão 16:[D]

Marx critica a visão otimista do trabalho ao demonstrar que o objeto produzido pela força de trabalho surge como estranho a quem o produz, não mais lhe pertencendo, daí dá-se o conceito marxista de alienação.

Resposta da questão 17:[D]

A questão faz referência a um conceito teórico marxista: a ideologia. Esta corresponde a uma falsa consciência da realidade social produzida pela burguesia com o intuito de legitimar a sua dominação sobre o proletariado e ocultar a luta de classes.

Resposta da questão 18:[E]

As relações sociais, segundo Marx, são dadas a partir das relações de produção. Com base nestas, se constituíram na sociedade capitalista duas classes: a burguesia (formada por aqueles que detêm os meios de produção) e o proletariado (formada por aqueles que não detêm tais meios e que são obrigados a vender sua força de trabalho para poderem sobreviver).

Resposta da questão 19: 02 + 04 + 16 = 22.

A presente questão apresenta a visão marxista sobre classes sociais. Segundo ela, as classes sociais se originam na divisão da sociedade no processo de produção da vida material. Na sociedade capitalista, tal processo gera o conflito entre a classe detentora dos meios de produção (a burguesia) e a classe que vende sua força de trabalho para sobreviver (o proletariado). Sendo assim, chegamos à conclusão de que as afirmativas corretas são somente a [02], a [04] e a [16].

Resposta da questão 20:[E]

O Estado, na visão marxista, é visto como um instrumento de dominação da classe burguesa. Fazendo parte da superestrutura da sociedade, ele corresponde a um reflexo desta, o que acaba por reforçar as estruturas de desigualdade e de opressão da classe burguesa sobre a classe operária.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário