sábado, 2 de abril de 2011

Confira as questões da Prova de Sociologia do Primeiro Bimestre

PROVA DE SOCIOLOGIA – TERCEIRO ANO

1. (UERJ) Observe a charge.



No Brasil, os críticos da abertura indiscriminada às importações alertam para o fato de que ela contribui para aumentar o desemprego e a exclusão social. A insistência em realizar essa abertura relaciona-se à seguinte característica do processo de globalização:

a) desestímulo ao processo de privatização de empresas

b) esvaziamento econômico do setor de comércio e serviços

c) imposição de medidas protecionistas para as empresas nacionais

d) facilidade de deslocamento de mercadorias, capitais e informações.

Resposta: D


Entre as características do processo de globalização podemos citar a grande circulação de mercadorias, capitais e informações em escala mundial.


2. (UFSM) "Essa é a dança do desempregado / Quem ainda não dançou tá na hora de aprender / A nova dança do desempregado / Amanhã o dançarino pode ser você."

(Gabriel, o pensador)




Esses versos remetem à reflexão sobre o desemprego. Com relação a esse assunto, é INCORRETO afirmar:


a) Com a globalização da economia, intensifica-se a transferência de empresas e tecnologias para os países onde os salários são mais baixos e as normas que regem o sistema de empregos, mais rígidas, o que garante a estabilidade econômica das corporações transnacionais.

b) Nos países em que as empresas investem em informatização e robótica, verifica-se o desemprego estrutural, que ocorre independentemente do crescimento ou da crise da economia.

c) As empresas perderam a bandeira da Pátria e ignoram fronteiras, instalando suas fábricas onde a mão-de-obra é mais barata e passando a extrair a mais-valia em escala mundial.

d) Nos países subdesenvolvidos, a diminuição da taxa de emprego na indústria é parcialmente compensada por um aumento da taxa de ocupação no setor terciário e informal.

e) A crescente informatização do setor terciário elimina cada vez mais a possibilidade de absorção de mão-de-obra, fator que explica, em parte, o número crescente de desempregados no mundo dos países ricos.

Resposta: A


3. (UERJ)


Disneylândia





(...)

Música hindu contrabandeada

por ciganos poloneses faz sucesso

no interior da Bolívia.

(...)

Multinacionais japonesas instalam

empresas em Hong-Kong e

produzem com matéria-prima brasileira

para competir no mercado americano.

(...)

Titãs



Samba do approach






Venha provar meu "brunch"

saiba que eu tenho "approach"

na hora do "lunch"

eu ando de "ferryboat"

eu tenho "savoir-faire"

meu temperamento é "light"

minha casa é "hi-tech"

toda hora rola um "insight"

(...)

Zeca Baleiro

Os fragmentos das letras de música fazem referência a várias dimensões do processo de globalização vigente no sistema capitalista, sobretudo a partir da década de 1980.

Uma característica econômica e uma tendência desse processo, respectivamente, são:

a) estatização das empresas - homogeneização do consumo.

b) redução da intervenção estatal - padronização de culturas.

c) internacionalização dos processos de produção - diminuição da exclusão social.

d) segmentação dos investimentos internacionais - diversificação dos modelos educacionais.

Resposta: B

4. (UENP) Leia atentamente o fragmento de texto a seguir. Trata-se de uma entrevista com o sociólogo Zigmunt Bauman.

Poderia falar mais amplamente sobre os riscos da modernidade?

Uma das características do que chamo de "modernidade sólida" era que as maiores ameaças para a existência humana eram muito mais óbvias. Os perigos eram reais, palpáveis, e não havia muito mistério sobre o que fazer para neutralizá-los ou, ao menos, aliviá-los. Era óbvio, por exemplo, que alimento, e só alimento, era o remédio para a fome.

Os riscos de hoje são de outra ordem, não se pode sentir ou tocar muitos deles, apesar de estarmos todos expostos, em algum grau, a suas consequências. Não podemos, por exemplo, cheirar, ouvir, ver ou tocar as condições climáticas que gradativamente, mas sem trégua, estão se deteriorando. O mesmo acontece com os níveis de radiação e de poluição, a diminuição das matérias-primas e das fontes de energia não renováveis, e os processos de globalização sem controle político ou ético, que solapam as bases de nossa existência e sobrecarregam a vida dos indivíduos com um grau de incerteza e ansiedade sem precedentes.

Diferentemente dos perigos antigos, os riscos que envolvem a condição humana no mundo das dependências globais podem não só deixar de ser notados, mas também deixar de ser minimizados mesmo quando notados. As ações necessárias para exterminar ou limitar os riscos podem ser desviadas das verdadeiras fontes do perigo e canalizadas para alvos errados. Quando a complexidade da situação é descartada, fica fácil apontar para aquilo que está mais à mão como causa das incertezas e das ansiedades modernas. Veja, por exemplo, o caso das manifestações contra imigrantes que ocorrem na Europa. Vistos como "o inimigo" próximo, eles são apontados como os culpados pelas frustrações da sociedade, como aqueles que põem obstáculos aos projetos de vida dos demais cidadãos. A noção de "solicitante de asilo" adquire, assim, uma conotação negativa, ao mesmo tempo em que as leis que regem a imigração e a naturalização se tornam mais restritivas, e a promessa de construção de "centros de detenção" para estrangeiros confere vantagens eleitorais a plataformas políticas.

Para confrontar sua condição existencial e enfrentar seus desafios, a humanidade precisa se colocar acima dos dados da experiência a que tem acesso como indivíduo. Ou seja, a percepção individual, para ser ampliada, necessita da assistência de intérpretes munidos com dados não amplamente disponíveis à experiência individual. E a Sociologia, como parte integrante desse processo interpretativo — um processo que, cumpre lembrar, está em andamento e é permanentemente inconclusivo —, constitui um empenho constante para ampliar os horizontes cognitivos dos indivíduos e uma voz potencialmente poderosa nesse diálogo sem fim com a condição humana.

PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. Entrevista com Zigmunt Bauman. Tempo soc. [online]. 2004

Sobre as questões ambientais na contemporaneidade, assinale a alternativa INCORRETA.

a) Uma das consequências humanas da globalização pode ser associada ao agravamento da questão ambiental.

b) O desenvolvimento do capitalismo demonstra que os índices de industrialização são diretamente proporcionais aos índices de poluição, em termos absolutos.

c) O estímulo ao consumo de produtos recicláveis pode ser considerado uma estratégia do capitalismo contemporâneo para manter os índices de consumo elevados.

d) Embora as questões climáticas tenham se agravado por conta da globalização e do desenvolvimento do capitalismo, elas não podem ser consideradas uma categoria relevante para a compreensão da sociedade contemporânea.

e) As questões ambientais e climáticas são uma espécie de “inimigo invisível” que caracteriza a modernidade contemporânea (“modernidade líquida”).

Resposta: D


5. (CNDL) “A crise, que começou como crise imobiliária americana, transformou-se em crise financeira global ao atingir as economias de vários países. Pensar em economia globalizada requer pensar em rede, algo que acontece aqui se ramifica pela rede e afeta a todos. Quando a origem do problema se dá numa economia como a norte-americana, com todo seu poderio, certamente a rede é muito mais atingida.”

(MONTEIRO, Eduardo José Machado. Sociologia: ensino médio: livro 3. Belo Horizonte: Editora Educacional, 2011, p. 16.)


Explique, tendo em vista o processo de globalização, a razão pela qual uma crise em determinado país pode afetar áreas relativamente distantes.

Resposta: Devido à interdepência econômica entre os países no contexto da globalização.

6. (UFSM) '' Em seu livro Jihad vs. McWorld, Benjamin Barber foi incrivelmente profético ao descrever nosso mundo complicado, em que dois cenários aparentemente contraditórios desenrolam-se simultaneamente: um, onde 'cultura é lançada contra cultura, pessoas contra pessoas, tribos contra tribos' e outro, onde 'ímpeto de forças econômicas, tecnológicas e ecológicas (...) exigem integração e uniformidade e (...) hipnotizam as pessoas em todo o planeta com o universo fast de música, computador, comida (...), um McMundo unido pela comunicação, informação, entretenimento, comércio'.''

WORLDWATCH INSTITUTE. Estado do mundo. 2004. Salvador: Uma, 2004. p. 179.


O texto e a figura compõem um quadro que aponta para uma das contradições socioeconômicas mais marcantes da globalização. São elementos constituintes dessa contradição:

a) intensa homogeneização do espaço - eliminação de culturas tradicionais.

b) democracia nos países ricos - autoritarismo e desorganização da sociedade civil nas nações subdesenvolvidas.

c) incentivo à integração econômica - fragmentação política pelo nacionalismo.

d) poder das empresas globais - popularização dos sistemas de transportes em massa.

e) universalização de produtos e facilidade de circulação de riqueza - diferenciação de ritmo e intensidade dos países e das populações na globalização.

Resposta: A

7. (UNESP) No mundo atual têm ocorrido grandes transformações socioeconômicas atribuídas ao processo de globalização.

a) O que é globalização?

Resposta: Globalização é o conjunto de transformações na ordem política e econômica mundial que vem acontecendo nas últimas décadas. O ponto central da mudança é a integração dos mercados numa "aldeia-global", explorada pelas grandes corporações internacionais.

b) Cite dois aspectos positivos e dois negativos da atual globalização.

Resposta: Aspectos positivos: desenvolvimento dos meios de comunicação, avanço da tecnologia, formação grandes blocos econômicos, entre outros;

Aspectos negativos: exclusão social, desemprego, disparidades econômicas, entre outros.

8. (UFSCAR) Após a Segunda Guerra, principalmente a partir dos anos de 1980, cresceu o fluxo de capitais especulativos no mundo, inaugurando o que é conhecido como "globalização financeira".

a) Qual a relação entre o aumento dos fluxos de capital especulativo no mundo e o avanço dos setores de informática e telecomunicações?

Resposta: A economia especulativa se refere ao mercado financeiro internacionais, aos investimentos na bolsa de valores, e o desenvolvimento tecnológico dos meios de telecomunicações e informáticas possibitaram a maior circulação de capitais em diversos pontos do planeta.

b) Qual a política usualmente adotada pelos países emergentes para atrair capitais especulativos e quais os principais efeitos negativos desta política?

Resposta: Para atrair os capitais especulativos muitos países emergentes costumam adotar uma política econômica de juros altos e desvalorização cambial, o que por sua vez, acaba refletindo negativamente sobre a população com arrocho salarial, aumento dos impostos e queda na qualidade de vida visto que o poder de compra dos salários diminui.

9. (CNDL) Com base em seus conhecimentos, desenvolva uma argumentação relacionando Pobreza, Fome, Crise dos alimentos e Reforma Agrária.

Resposta: Pensando em rede, observamos que pobreza, fome, crise de alimentos e reforma agrária encontram-se interligados tanto como causa dos problemas quanto como soluções para eles. A reforma agrária torna-se necessária para solucionar a crise de alimentos, como também para contribuir para a erradicação da pobreza e da fome no mundo.

10. (CNDL) Observe atentamente a charge.


Com base na interpretação da charge e em seus conhecimentos, explique como a crise que abalou a economia mundial em 2008 afetou o cidadão comum.

Resposta: A limitação de crédito diminui os investimentos produtivos, o que por sua vez faz com que as empresas cortem seus gastos, provocando demissões em massa, afetando desta forma diretamente o cidadão comum. O aumento do desemprego que atinge diretamente as condições de vida dos trabalhadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário